This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Um anjo em minha vida

Minha fé sempre teve um componente racional muito forte. Em meu relacionamento com Deus nunca busquei experiências emocionais. Mas isso não significa que eu desacredite do poder de Deus e da Sua capacidade de intervir sobrenaturalmente na história da humanidade e particularmente na vida de cada pessoa, na minha vida. O fato é que, conquanto não busque a superficialidade de um relacionamento baseado simplesmente em emoção, transes e até histerias, também nunca abri mão de ver, sentir, provar, experimentar o caráter extraordinário de Deus. Sempre soube que Ele é muito maior do que tudo o que eu posso pensar acerca Dele.

Uma coisa que sempre entendi é que os milagres de Deus não são apenas aqueles de maior repercussão. Muitas vezes Deus tem se revelado na simplicidade e em atos que nos passam desapercebidos a cada dia. Foi isso que o o profeta também entendeu e por isso afirmou que “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos. Novas são a cada manhã. Grande é a Sua fidelidade.” (Lm 3.22-23)

Há alguns dias eu provei a misericórdia do Senhor se renovando e me livrando do risco da morte. Passo a relatar o livramento que não apenas soube, mas que eu mesma experimentei.

Acordei na casa dos meus pais em Campo Grande e precisava ir para uma reunião de oração com os obreiros em Niterói. Já em cima da hora de sair procurei os documentos do carro e não achei de jeito nenhum. Liguei pra uma amiga que tinha visitado na noite anterior para ver se tinha deixado na casa dela, nada.

Peguei o recibo de compra e venda do carro (dut-recibo) e saí com ele. Mas a esta altura já estava atrasada. Quem conhece a Av. Brasil sabe que na altura de Realengo tem um viaduto. Iniciei a subida do mesmo e logo o trânsito começou a ficar lento. Para quem estava atrasada aquilo era mais uma chateação. Do alto do viaduto entendi o motivo da retenção porque vi, adiante de mim uns 50 metros, duas carretas e três carros de passeio atravessados na pista. Reduzi a marcha e passei ziguezagueando entre os carros batidos. As pessoas estavam sendo socorridas por outros motoristas, fiz menção de parar, mas já tinha muita gente e logo vi o Corpo de Bombeiros chegando.

Continuei apressadamente (quem já andou comigo sabe o que quero dizer) meu caminho até Niterói. Estacionei o carro em frente o prédio da Chris, umas das obreiras da minha equipe e peguei a mochila pra guardar meus óculos escuros. Qual não foi a minha surpresa ao encontrar a carteira com o documento do carro num dos bolsos! O detalhe é que eu tinha revirado a mochila inteira procurando e não tinha visto o documento ali.

Subi rápido porque a reunião já tinha começado. Pedi perdão pelo atraso e contei a história do documento "desaparecido". Na minha vez de orar me lembrei do acidente e pedi a Deus que Ele tivesse misericórdia e salvasse aquelas pessoas. No fim da minha oração a Chris me disse: "Você não entendeu o que aconteceu? Deus te cegou pra você não achar o documento e isso te fez "perder" os minutos que te livraram de também ser envolvida neste acidente!"

Na mesma hora, eu tive um convencimento do Espírito Santo de que foi isso mesmo o que aconteceu. Foi uma daquelas certezas que você sente que só pode vir de Deus!

Dias depois eu encontrei com a amiga que eu tinha visitado no dia anterior ao “sumiço” do documento. Ela me perguntou pelo documento e antes que eu contasse o que tinha acontecido ela me disse que quando eu liguei procurando-o, ela não podia entender o motivo, mas sabia que eu não deveria achar aquele documento imediatamente.

“O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra!” (Sl 34.7)
ALELUIA!

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Falta do que dizer

Sim, sou mesmo uma miserável pecadora que prometeu manter o blog atualizado, mas que escreve quase nunca.

Acho que estou inibida diante de meus colegas bloguistas (essa palavra existe?) que escrevem coisas profundas. Eu não sou assim tão profunda (ai, ai, ai... talvez eu perca pontos com um certo amigo, que inclusive também é bloguista, diante desta confissão).

Verdade seja dita: falta-me tempo pra escrever, ando deveras ocupada. Não quero dizer com isso que quem escreve sempre seja desocupado mas... acho melhor eu parar porque acho que estou me complicando demais.

Aí está mais um motivo que dificulta a atualização do blog: sou muito prolixa e apesar de toda terapia que já fiz, ainda conservo enorme necessidade de me explicar. Que fazer? Sou assim. Então nas últimas vezes que pensei em escrever, presumi que gastaria muito tempo e desisti.

Mas é certo que da última postagem até o dia de hoje já aconteceram muitas coisas que, sem dúvida alguma, mereceriam algumas “mal traçadas linhas”. Em termos ministeriais, a turnê do BMM nas universidades do Rio encabeça esta lista, mas eu não escrevi e agora passou.

Meu consolo é que vamos para Recife juntos, o Alfa & Ômega e o BMM – Brasil, Música e Missão (um ministério da Cruzada que usa a música para evangelizar), e eu espero acumular histórias boas pra contar aqui.

Deparo-me agora com uma sensação estranha. Tanta coisa acontecendo e eu não tenho nada a dizer. Veja bem, neste tempo, além do evento com o BMM que foi muito marcante, eu fui a São Paulo pra uma reunião com o pessoal do Passion e assisti Miss Saigon lá (literalmente abro o parênteses pra dizer que este espetáculo é maravilhoso!); viajei pra Recife para achar o lugar onde vamos hospedar a galera do projeto em janeiro de 2008; passei um final de semana em Maceió e pela primeira vez achei a Praia do Francês bonita; estive dois dias descansando em Angra; fiz aniversário; e no meio disso tudo ainda teve o Projeto Setrel Paracambi. É uma lista que daria ótimos textos e talvez justamente por isso eu não consigo escrever.

Ocorre que, pensando bem, isso é bastante coerente com minha personalidade. Tenho enorme dificuldade em lidar com opções, com quantidade. Vou tentar me fazer entender melhor: se eu entro numa loja e a vendedora me oferece inúmeras opções de blusas, por exemplo. Quando eu olho para a terceira já fico desesperada, doida pra sair correndo porta fora e invariavelmente não compro nada. Aliás, detesto comprar roupas e não é pão-durismo, é que realmente o ato de ir ao shopping, experimentar e escolher me rouba as energias. Mas eu preciso me vestir, né? Então o que eu faço? Geralmente compro no mesmo lugar (alguns já sabem onde, mas como não estou ganhando pra fazer merchandising não vou publicar) e muitas vezes chego em casa com várias peças semelhantes afinal, nem tão cedo vou ter disposição para ir as compras e quando gosto de alguma coisa, realmente gosto. E aí começa outra das minhas manias. Eu começo a usar as roupas novas quase ininterruptamente, é só o tempo de lavar e vestir a peça de novo. Por que isso? Porque não gosto de comprar, mas gosto de roupa nova. Ocorre que se eu não usar a roupa nova muitas vezes logo que a compro, quando eu usá-la, ela já vai ser uma roupa velha e aí já não terei o mesmo prazer. Isso faz sentido pra você?

Por falar em sentido, não vejo sentido nenhum em continuar este texto. Pra alguém que tem apenas 457 (-400) leitores, estou me arriscando a perder os 7 fiéis que ainda me restam.

Como vêem, não estão perdendo nada pelo fato do blog permanecer quase inativo e eu prometo levar mais dois meses pelo menos pra voltar aqui.

domingo, 12 de agosto de 2007

Na Jornada Para Movimentos Em Todos Os Lugares - Uma carta de amor

Há dias, semanas que estou querendo voltar a escrever aqui, mas um conjunto de coisas impedia: falta de tempo, de vontade, paciência e acho que, principalmente, falta de assunto. E confesso que estava preocupada de não conseguir manter este blog. Será que eu seria “bloguista” de um sucesso só? (rsssss). Será que a CM2007 era o único evento que merecia minhas considerações? Certamente que não, mas uma coisa que descobri é que não tenho grande interesse em escrever sobre temas, acho que sou boa mesmo é em fazer diários (por isso foi tão fácil postar um texto após o outro durante a CM2007).

O que me trouxe de volta então? Relaxem todos os meus (45) 7 fiéis leitores, não vou lhes contar o que fiz ou comi ontem... mas se este blog é pra falar de missões não poderia deixar de registrar aqui meu contentamento no nosso último QGM*.

Não foi o mais cheio, não foi o mais legal (qual foi? Não sei), mas foi muito, muito bom. Sou apaixonada por este movimento. E, neste sentido, não interessa quantos estudantes reunimos, o que realmente importa é que o mesmo Deus atua no nosso meio.

Temos um desafio enorme diante de nós: alcançar cada universitário do Rio e do mundo. Por isso como é bom reconhecer tantos da tribo de Calebe aqui! Estou tentando não ser babona demais, mas esta é uma carta de amor e, portanto, ridícula (rssss). Ainda estou tentando entender o que quero dizer pra vocês, procurando palavras que expressem meus sentimentos, mas se é disso que estou tratando, acho que o resumo é: vocês me emocionam!

E foi emocionada que fiquei quanto vocês aceitaram o desafio e gritaram comigo, “POIS SE VIVEMOS, PARA O SENHOR VIVEMOS. E SE MORREMOS, PARA O SENHOR MORREMOS. ASSIM QUER VIVAMOS, QUER MORRAMOS, SOMOS DO SENHOR!” (Rm 13.8).

Que Deus nos abençoe em cumprirmos o propósito de dedicarmos nossas vidas completamente a Ele e para vermos Movimentos Em Todos Os Lugares!

Alfaeomeguenses da Tribo de Calebe,

Eu amo vocês!

Sua serva e amiga,
Liege Lopes

_______________________________________________________________
* Quebra-Gelo Metro é a reunião mensal do Movimento Estudantil Alfa & Ômega do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 5 de julho de 2007

CM 2007: Último dia - CRISTO MAGNIFICADO

(Sexta-feira -06/07 - 2h50)
E a CM acabou. Confesso que sinto um vazio no peito. Os dias vividos aqui foram tão intensos, tão maravilhosos, tão... tão... tão... tão qualquer coisa que você possa imaginar de muito bom! A sensação que eu tinha é de estar vivendo um pedacinho do céu.

Agora são duas da manhã em Busan e tem duas pasquistanesas no meu quarto, pense! Isso é a CM 2007 (ainda recuso-me a escrever no passado), uma experiência de comunhão fabulosa. O programa terminou há três horas e estamos até agora socializando com as pessoas. Fotos e mais fotos e mais fotos e mais fotos! Presentes, abraços, sorrisos... dizemos até logo mesmo sabendo que a maior possibilidade de encontrar estas pessoas é apenas no céu. Mas estaremos lá, e se tivermos memória nos lembraremos que vivemos juntos nestes dias uma amostra do paraíso. Gente de toda tribo, raça e nação adorando o Senhor!

A ênfase deste dia foi Cristo Magnificado. Foi um dia de celebração incrível. Após a mensagem da manhã os coreanos nos levaram de volta ao avivamento de 1907 em Pyongyang através de fotos, depois vimos imagens da CM e eles baixaram uma enorme bandeira da Coréia profetizando pela fé um novo avivamento a partir da CM 2007.

A programação da noite durou cinco horas e foi muito emocionante. Ouvimos duas mensagens maravilhosas e o louvor, como sempre, foi arrebatador. A segunda mensagem foi proferida pelo diretor nacional da Cruzada na Coréia, Dr. Sung-Min Park, e no final da mensagem fomos informados que havia estudantes coreanos que ainda não eram convertidos. A interprete de inglês pediu então para que todos os congressistas internacionais orassem pela salvação destes estudantes enquanto Dr. Park dirigia a palavra a eles especialmente, sem interrupção da tradução. Centenas de estudantes receberam a Cristo e foram conduzidos pelos seus colegas até o palco para serem abençoados. Que coisa extraordinária! E enquanto esta multidão voltava aos seus lugares passando pelos inúmeros corredores do imenso auditório, eram aplaudidos por todos em sinal da nossa felicidade por este dia de Salvação. Isso já havia sido emoção demais, mas logo em seguida Dr. Steve Douglas (presidente mundial da Cruzada Estudantil) ministrou a celebração da Ceia do Senhor. Não dá pra descrever aqui o que é participar da Comunhão com 20 mil pessoas de 130 países. Enquanto o pão e o vinho eram distribuidos assistíamos nos telões cenas do Filme Jesus e meu coração parecia não agüentar tamanha emoção. A visão do sacrifício de Jesus por mim, por todas as pessoas... A celebração da Ceia do Senhor em memória a este sacrifício com representantes de tantos lugares do mundo... Desculpem-me, mas é simplesmente indescritível.
O programa encerrou em clima de grande celebração. Cantamos, dançamos e agradecemos a Deus por tudo o que vimos e ouvimos nestes dias. Assinamos o pacto da CM 2007 (isso fica para um próximo post) e assumimos o compromisso de fazer Cristo Magnificado nos 6 mil campi não alcançados. Eu quero fazer parte disso!

quarta-feira, 4 de julho de 2007

CM 2007 - MOVIMENTOS CONECTADOS

(05/07 – 8h26)
Esta foi a ênfase de ontem. Foi muito legal ouvir a respeito do que Deus está fazendo no movimento em várias partes do mundo. Mas o que tem me impactado muito aqui são os testemunhos de obreiros e estudantes de países fechados.

Dentro do auditório no Bexco existe “No Photo Zones” (áreas onde não se pode fotografar). Enquanto milhares de estudantes estão aqui o dia inteiro tirando fotos de tudo e de todos, outros não podem se arriscar a aparecer. Alguns preletores também não podem ser fotografados, várias pessoas têm dado testemunho dos bastidores, elas ficam com um microfone atrás do palco e os MCs que estão a frente as entrevistam. Ontem uma estudante de país fechado foi entrevistada desta forma e uma frase que ela disse nos impressionou: “Não interessa se eu vou ser perseguida, presa ou morta. Eu vou continuar falando de Cristo”. Ela sabe o que está pondo em risco quando diz algo assim.

Movimentos em todos os lugares até que cada pessoa no mundo conheça alguém que verdadeiramente segue a Jesus!

CM 2007 - Detalhes

video

O louvor
"I am a friend of God, I am a friend of God, I am a friend of God, He calls me friend!"

Pense em algo arrebatador? É como no apocalipse, toda nação, tribo, povo, raça... coisa linda demais! Gente, são vinte mil cabeças louvando, pulando, dançando...



O passeio
Tivemos um dia de folga para conhecer a cidade. Tudo é muito organizado, mas de vez em quando rola uns improvisos que descontraem a coisa (rssss). Eles anunciaram na noite anterior que todos os congressistas estivessem às 9h no saguão do próprio hotel para sair de metrô em grupos de até doze pessoas com um estudante coreano como guia. Daí no dia do passeio, quando o pessoal ia buscar o café-da-manhã recebia a notícia que o passeio tinha sido antecipado para 8h, pense! Parece até vôo da BRA... E não formamos mais os grupos de 12, tinha ônibus para nos levar pela cidade. Nosso ônibus foi para o Mercado de Peixe e Mercado Internacional. Depois nos encontramos com os congressistas que estavam em outros ônibus e embarcamos num passeio de barco durante uma hora. No barco tinha um piano e rolou um louvor internacional, várias pessoas cantando em sua própria língua. Foi um dia gostoso e muito cansativo também. Confesso que entendi porque Jesus dormia tranqüilo no barco durante a tempestade, eu também tirei um cochilo gostoso!



Fotos e mais fotos
Ontem eu estava atravessando a rua pra dar um pulo no hotel durante à tarde e um coreano resolveu me acompanhar. Eu achei que ele estava indo pro hotel também, mas quando chegamos no hall dos elevadores descobri que ele não ia subir, foi andando comigo só pra tirar uma foto! Essa é nossa rotina aqui. É preciso estar sempre bem porque a qualquer momento aparece alguém pra pedir uma foto. Se você estiver de verde-amarelo então...

Simpatia Coreana
O povo aqui é muito simpático. Não apenas os que participam da CM, mas também as pessoas de maneira geral. Mesmo o inglês, poucos falam, mas eles nos atendem com muita gentileza e se esforçam bastante para se comunicar.

Dentro do elevador
Kim: Oi! Meu nome é Kim e eu sei falar portuguese.
Eu: Legal. E você é de Busan mesmo?
Kim: O Brasil é muito legal.
Eu: Ah... E o que mais você fala em português?
Kim: O Brasil é muito legal.
Eu: Você não está entendendo nada do que eu estou falando, né?
Kim: O Brasil é muito legal.
Risos
Kim: Ok, I’m not speak portuguese. (tb não sabe inglês, né?) But, I like futebol e Kaká.
Mais risos.
Assim é a vida na CM.


Brasileiros querem aparecer
Bem, nós somos apenas trinta no meio desta multidão, por isso ontem decidimos ter uma estratégia pra fazer o Brasil aparecer (rssss). Chegamos no Bexco uma hora antes de começar a reunião, todos vestidos de verde amarelo com bandeiras e tudo mais. Sentamos bem próximo a câmera que pega o auditório. Detalhe, acho que tem umas dez câmeras filmando o evento e transmitindo pra 4 super telões dentro do próprio auditório. A estrutura é mega, vou tirar algumas fotos das centrais de controle de mídia e áudio pra vocês terem uma idéia. O fato é que nossa estratégia deu certo. Antes mesmo de começar a programação tiramos tanta foto, mas tanta foto que já tava dando câimbra no rosto (rsss).


Café Brasil
Montamos uma cafeteria na área dos estandes. Estamos servindo legítimo café brasileiro que tem caído, literalmente, na boca do povo. Vendemos o copo e também pra quem quer levar pra casa os pacotes de café Pilão (trouxemos 180 kg de café pra Busan). A KK prepara o café nas máquinas e nós nos revezamos no atendimento em alguns horários do dia. O café brasileiro é um sucesso!

terça-feira, 3 de julho de 2007

CM 2007 - A abertura (outra!) - COMPLETANDO A MISSÃO

Ontem à noite (segunda-feira) tivemos novamente a abertura da CM 2007. Abertura de novo? Explico. A CM está dividida da seguinte forma: de sexta a domingo foi a
Conferencia para Líderes e desde ontem (segunda-feira) até quinta-feira acontece a Conferência principal. Na conferencia para líderes havia cinco mil estudantes de 130 países incluindo a Coréia, mas ontem, para a conferência principal chegou o restante dos coreanos... “apenas” mais DOSE MIL estudantes. Então ao todo, temos agora 17 mil congressistas estudantes (nesta conta não entram os obreiros). Se eu já achava que estava num outro mundo com tanto oriental em volta, agora já não sei mais o que dizer.

É muito emocionante estar aqui. Este post vai ser bem curto por dois motivos: o tempo está realmente muito escasso, mas o motivo principal é que já não estou encontrando palavras pra traduzir tudo o que estamos vivendo aqui.

A abertura da Conferência principal foi um espetáculo do preciosismo coreano. Música e danças típicas da cultura e uma tecnologia apurada. Também aconteceu a Parada das Nações, que foi um desfile de todos os países a la olimpíadas (bandeira e plaquinha com o nome do país, a diferença é que não entrava toda a delegação apenas dois estudantes representando). Tivemos também o testemunho de uma estudante coreana que foi Miss Coréia 2006 e terceiro lugar no concurso de Miss Universo. Foi muito bacana ouvir como ela usou o concurso pra evangelizar. Quem trouxe a palavra nesta noite foi o Dr. Joon-Gon Kin, que falou-nos com a autoridade de quem fundou a KCCC, Korea Campus Cruzade for Christ (a Cruzada na Coréia) há quase 50 anos. Ele recordou-nos da Explo 74 e das coisas que Deus tem feito na Coréia desde então. Que emoção ouvir um homem de Deus como ele!

Vonette Brigth que fundou a Cruzada Estudantil também está aqui e foi seu aniversário ontem. Que privilégio cantar parabéns para ela com quase vinte mil pessoas! À tarde quando estávamos passeando encontramos com ela na rua e cantamos parabéns para ela em português também. Ela é muito animada e começou a falar-nos de quando esteve no Brasil com Dr. Bill Bright. Ela também falou na programação e foi muito impactante para todos nós. Eu fico imaginando o que deve passar no coração dela vendo 17 mil universitários de 130 países reunidos e saber que tudo isso é fruto da obediência dela e de Dr. Bill.




Dia 04/07 - 0h35 local

O dia hoje foi muito intenso. A conferência está dividida em três ênfases e a de hoje era Completando a Missão. Tanto pela manhã como à noite ouvimos palavras muito confrontadoras. Cruzada Estudantil tem falado sempre sobre Ajudar no Cumprimento da Grande Comissão, mas a CM 2007 tem como objetivo enganjar todos no término da missão, queremos que esta geração chegue aos 6 mil “campi prioritários” não alcançados. Estamos Na Jornada Para Movimentos em Todos os Lugares. À tarde tivemos as oficinas. Eles estão oferecendo 26 oficinas, todas excelentes e foi difícil escolher apenas quatro para participar (duas no domingo e duas hoje).

Deus tem falado muito ao meu coração. Tenho certeza de voltar para o Brasil como uma outra visão do mundo e do movimento. Eu creio que nós podemos completar a missão. Eu quero fazer parte disso!

domingo, 1 de julho de 2007

CM 2007 - Curiosidades

Onde estamos hospedados?

Nosso Pai realmente está nos mimando, estamos num hotel quatro estrelas e basta atravessarmos a rua e em um minuto estamos no Bexco, um centro de convenções gigantesco onde acontece a CM (é certo que tem seis meninas no quarto onde só tem duas camas originalmente, mas isso é detalhe), podemos dizer que estamos muito bem instalados, alguns grupos levam uma hora pra chegar ao Bexco.


Como comemos?

A Cruzada na Coréia levantou muito dinheiro pra hospedar e alimentar todos os estrangeiros que participam da CM. Mas como servir esta multidão se apenas no nosso hotel tem 3 mil congressistas? Aqui é que entra a nossa acomodação à cultura local e a logística necessária pra fazer um evento impecável. O café da manhã é servido no quarto, chique, né? Só que é o seguinte: uma pessoa de cada quarto precisa descer entre 6h30 e 7h para buscar o “pacote”. Cada dia uma novidade. Hoje por exemplo, comemos banana, chá de milho (também chamado vulgarmente por nós de suco de pipoca) e arroz! Mas não imagine o arroz como você está habituado. Pra ter uma idéia, ontem à noite quando acabou a celebração entrou um vídeo engraçado ensinando como desembrulhar o arroz...

Esquema parecido acontece no almoço e jantar, só que aí é cada um por si. Eles montaram um posto de distribuição de comida. Você chega e retira sua refeição que vem numa espécie de bandeijão lacrado. Daí você senta em qualquer lugar... do chão e come! Bem, não é tão simples assim... muitas vezes a gente tem que decifrar o que estão nos dando pra comer. Estamos provando tudo, nem tudo é bom... Tem muita pimenta que acompanha... mais pimenta! É assim: a pimenta vermelha acompanha a pimenta verde. E o arroz? Bem o arroz é servido gelado, e isso não é força de expressão, quando digo gelado é gelado mesmo, do tipo que foi tirado do congelador e por isso naturalmente chega a nós em consistência de pedra... Ah, o arroz não tem gosto de nada (por que eles comem tanto então?). Comida coreana... simples assim.



O supermercado...

Perto do Bexco tem um mercado chamado Home Plus, que virou o point dos congressistas. É um mercado enorme, tipo Carrefour. Teve dia que a gente foi lá umas três ou quatro vezes. Se você não tem o que fazer, vá ao mercado (rssss). Não que a cidade seja feia, mas é que como o mercado tem de tudo é realmente uma boa opção pra atender as nossas necessidades e não temos muito tempo para explorar os arredores. Agora é uma comédia também porque algumas vezes não entendemos nada, poucas coisas são escritas em inglês e a maioria dos coreanos não fala inglês.

Amanhã (segunda) teremos o dia livre para passear pela cidade. Os coreanos vão nos guiar em grupos de dez a doze pessoas, acho que vai ser muito legal. Assim que der vou colocar fotos no orkut.

sábado, 30 de junho de 2007

CM 2007 - A abertura

Dia 1/07/07, domingo (pelo menos pra gente que tá meio dia à frente de vocês).

Ontem à noite (sábado) foi a abertura da CM 2007 - a esta altura é melhor que eu tente explicar um pouquinho o que é esta conferência. A Campus Mission 2007 é um evento que está reunindo milhares de "alfaeomeguenses" do mundo inteiro (hoje eles anunciaram 130 países representados!) na Coréia do Sul para um tempo de treinamento, inspiração e desafio para irmos a todos os campi onde ainda não existe um movimento espiritual.

É tão maravilhoso estar aqui! Um privilégio que eu agradeço a Deus em primeiro lugar, e depois aos meus sócios ministeriais, aqueles que investiram neste projeto, a todos os que estão orando por nossa equipe aqui, a minha família, e que quero dividir com toda a comunidade alfaeomeguense do Brasil. Hoje à noite na celebração de abertura eu chorei na hora do louvor, pois me senti entre o Pentecostes e o Grande Dia. No Pentecostes porque estamos reunidos aqui, pessoas de tantas pátrias diferentes e daqui sairemos para levar este Evangelho, que são as Boas Novas, para todos os cantos do mundo. No Grande Dia porque é tão lindo estar aqui, é como uma amostra do que será estar com gente de toda raça, tribo e nação declarando que a Salvação pertence ao nosso Deus!


A abertura teve música e dança típicas da cultura coreana, louvor, vídeos (a Cruzada sempre excelente em termos de mídia!), a palavra do East Asia Director Reverend Insoo Jeong, dinâmicas para inteiração dos participantes, Mcs no melhor estilo alfaeomeguesse, ou seja, as vezes muito bons e outras engraçados de tão sem graça que são, “amo muito tudo isso”! O que posso dizer é que foi muito bom. E se você quiser você pode participar de toda programação ao vivo acessando o site da CM, www.cm2007.net, não é demais? Coisas que só a Cruzada faz por você...


sexta-feira, 29 de junho de 2007

CM 2007 - A viagem

Escrevo do avião indo de Frankfurt para Pequim, é dia 28 de junho, às 23h, horário local. É uma experiência impressionante estar neste vôo com maioria absoluta de chineses. Nosso grupo parece uma gente estranha no meio deste povo de olhos puxados, mas no fim das contas nós é que nos surpreendemos com algumas coisas. Logo que o sinal de soltar os cinto de segurança apareceu grande parte dos chineses levantou-se e começou a socializar uns com os outros. Não é um vôo tão longo, apenas 8 horas, mas eles pareciam não se agüentar nas poltronas. Será que existem tantos chineses sanguíneos assim? Isto para mim foi uma completa surpresa. Depois que o jantar foi servido a tripulação começou a oferecer produtos do free shopping dentro do avião, coisa normal em muitos vôos internacionais, mas foi engraçado vê-los fazendo comércio, parecia que eu estava de volta a R. da Alfândega no Rio.,.

Nossa viagem até aqui tem sido muito boa, embora cansativa. Nosso avião partiu do Galeão, quarta (27), com apenas meia hora de atraso, e levando a Milena como o pé quebrado (uma nota de destaque para ela que quebrou o dedinho no sábado mas não desistiu de viajar. As “Saras” também são guerreiras!). Em São Paulo ganhamos o acréscimo de cinco paulistas. De São Paulo para Frankfurt fizemos aproximadamente doze horas de vôo. Voamos Varig (Varig Varig Varig!) e fomos servidos por uma comissária “japinha” extremamente agradável. No meio do vôo eu a cumprimentei por seu serviço:

- Você está fazendo um excelente trabalho. Você é muito gentil, muito obrigada mesmo por facilitar nossa viagem desta forma.
- Ah, muito obrigada – ela respondeu meio encabulada.
Daí há alguns minutos ele voltou:
- Muito obrigada por suas palavras. Isso é um incentivo pra gente porque a gente está se esforçando muito para atender bem aqueles que tem preferido voar conosco – garanto a vocês que não era a resposta estilo “cara de paisagem”, eu percebi que ela estava mesmo comovida.

Fiquei pensando como às vezes palavras de reconhecimento, que são tão simples de se dizer, podem fazer tão bem a uma pessoa. Desejo me esforçar para reconhecer mais o trabalho dos outros, especialmente daqueles que estão me prestando um serviço. Servir bem é um talento.

Chegamos em Frankfurt, quinta (28) às 15h05, horário local. Bem, é claro que com um grupo tão grande as confusões acabam acontecendo. Éramos 18 pessoas para passar pela imigração (sendo entrevistados em inglês) pegar bagagem e sair pela alfândega. Superados alguns estresses, saímos para a área comum do aeroporto e encontramos as quatro meninas que chegaram pelo vôo que partiu de Recife. Através delas descobrimos que o pessoal que saiu de Fortaleza e que deveria ter encontrado com elas em Lisboa havia perdido a conexão em Portugal e estavam vindo para Frankfurt num vôo que partiu de Lisboa mais tarde e provavelmente chegaria no aeroporto alemão bem em cima da hora de embarcar para Pequim, nossa última escala antes de Busan, Coréia. O jeito foi fazermos nós todos, os “cariocas”, os “paulistas”, e os “recifenses” o nosso check in e ficarmos torcendo para que os “cearenses” conseguissem chegar a tempo de tomar o mesmo vôo que nós.

Enquanto isso, precisávamos comer e foi fácil achar um restaurante “brasileiro” com comida bem familiar no aeroporto. Como não tinha cheddar, e para não arriscar, eu pedi um Mc chicken mesmo (rssss). Já quase na hora de embarcarmos encontramos os “cearenses” fazendo o check in na Air China. Perfeito! Nosso grupo enfim estava formado para a viagem. Somos 28 a caminho da China e depois Coréia do Sul. Chegando lá encontraremos mais duas obreiras que fizeram rotas alternativas e enfim poderemos dizer que o grupo está completo. Nossa comitiva apresenta-se com 30 pessoas entre obreiros e universitários representando o ministério no Brasil.


Agora eu vou tentar tirar um cochilo e torcer pra ter um sonho tão divertido como o que tive no trajeto São Paulo – Frankfurt, mas esta história eu conto em outro post.

Uma coisa eu sei. Todos nós que estamos dentro deste avião indo para a Campus Mission 2007 estamos sonhando com coisas muito especiais para o Brasil, para o Alfa & Ômega, para nós mesmos. Queira Deus que saibamos submeter nossos sonhos aos Dele! Se assim for, serão sonhos/planos de paz, de fazer prosperar, de dar uma esperança e um futuro. (cf Jr 29)


********************************************************************************

Dia 30, 0h30, dá pra perceber que não tive oportunidade de postar antes o texto acima. Já chegamos a Busan, nos instalamos no hotel e já fomos inclusive a um supermecado. Imagine escolher produtos que você não conhece com tudo escrito com caracteres coreanos! É uma aventura a parte que eu prometo contar em breve.

Agora vou dormir. Estamos 12 horas a frente do Brasil, onde ainda é dia 29. Que mundo doido!

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Ele era o MÁXIMO

Perdi um amigo hoje. Oitenta e oito anos muito bem vividos, primeiro-tenente da FAB, ex-combatente da Segunda Grande Guerra, sócio ministerial, SERVO do Senhor. Quem conheceu LUCAS JOSÉ MÁXIMO, sabe que ele realmente era um dos “fiéis que há na terra, um dos notáveis em quem está todo o meu prazer” (Sl 16.3). Eu poderia falar um monte sobre alguém que fazia jus a afirmação de Paulo, “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2Tm 4.7), mas vou contar apenas duas histórias.

Em 2001 eu bati com um Escort que tinha na época. O carro ficou acabado, ainda hoje quando vejo as fotos fico pensando em como saí sozinha e ilesa de dentro dele. Passaram-se alguns meses e o carrinho ainda estava todo desmontado numa oficina. Foi quando encontrei com o irmão Lucas no estacionamento da igreja e ele me perguntou:

- Onde está seu carro?
- Ainda está na oficina consertando.
- Mas depois de tanto tempo!
- É que tenho que consertar aos poucos, estou procurando peças no ferro-velho, e também tenho que fazer no ritmo que meu salário permite.
- E a oficina é em Campo Grande mesmo?
- É ali na rua Mora - repondi displicentemente.

Dois dias depois o lanterneiro me liga.

- D. Liege veio um senhor aqui hoje e disse que é pra eu terminar o seu carro em duas semanas Ele disse que você não pode continuar sem o carro, e que é pra eu mandar a conta toda pra ele pagar.
- Como? Espera que estou indo aí pra você me explicar isso direito.

Quando cheguei na oficina o lanterneiro me deu o cartão do irmão Lucas e disse que ele havia estado lá e que tinha mandado ele dar prioridade total pro meu carro. Eu estava totalmente confusa e liguei do meu celular pro irmão Lucas:

- Irmão Lucas, eu estou aqui na oficina e o mecânico me disse que o irmão esteve aqui e disse que vai pagar o conserto do carro. O irmão tem certeza disso? Falta muita coisa ainda pra fazer, vai sair muito caro, muito mesmo.
- Esse soldado insubordinado! Eu disse a ele pra não falar nada contigo, pra simplesmente obedecer as minhas ordens. Mas é isso mesmo, eu vou pagar todo o conserto.
- Mas irmão... é muito dinheiro...
- Missionária, vá para o “front” e deixe os “suprimentos” por minha conta. Você está lá na frente, na linha de frente da batalha, mas pode deixar que eu cuido da retaguarda.

Nunca tornei público este episódio porque certamente ele não aprovaria, não buscava glórias para si mesmo. Era um bom soldado de Cristo, tinha noções de hierarquia, era completamente submisso ao seu General. Ao longo da minha batalha no ministério sempre foi uma tranqüilidade saber que eu tinha uma retaguarda tão bem guardada.

Mais uma história. Era semana da pátria, domingo de culto cívico na igreja e o irmão Lucas estava todo paramentado para a ocasião com sua farda e medalhas no peito. Um garotinho o vê no corredor e pergunta:

- Onde o senhor conseguiu estas medalhas?
- Esta foi na Itália, esta foi... – e começou a dizer onde havia conquistado cada uma das medalhas. Ao que o garotinho ponderou:
- Mas por que o Senhor foi tão longe pra comprar? Na Silbene (uma papelaria em Campo Grande) tem um monte dessas...

O irmão Lucas sorriu gentilmente para o menino e humilde deixou pra lá. Por essas e por muitas outras é que eu reintero o título deste post. Lucas José era mesmo o MÁXIMO!

segunda-feira, 18 de junho de 2007

CM 2007, eu vou!

Durante muito tempo relutei em começar um blog. Não tenho tempo para isso, pensava. E provavelmente não terei mesmo... Mas a proximidade da viagem a Coréia e tantas coisas boas que estão acontecendo por conta disso me motivaram. Não espere que eu atualize sempre, não espere apenas textos profundos, não há regras para este espaço, já as tenho em quantidade demasiada na vida. Quero fazer daqui um espaço livre.

Mas se a motivação foi a Coréia, vamos a ela! Aliás, eu vou... literalmente. Dia 27 embarco e se o aeroporto, as companhias aéreas, os controladores de vôo e afins permitirem, dia 29 chego a Busan para participar da CM 2007 - Campus Mission. Pra quem ainda não sabe do que se trata vale a pena visitar www.cm2007.net e assistir http://www.youtube.com/watch?v=QGAeGBdVr4I.

A primeira vez que ouvi falar deste congresso não me interessei muito. Longe demais, caro demais, e eu não falo coreano, né? Quando o convite chegou pra ingressar a caravana brasileira (sim, temos uma caravana, somos trinta!) eu aceitei quase que por obrigação ministerial. Mas a partir daí Deus tem realizado coisas maravilhosas na minha vida que aos poucos quero compartilhar.

Interessante é que o que tem acontecido até agora de mais importante está relacionado ao levantamento dos recursos necessários para o evento. Eu tinha a expectativa de em pouco tempo e contando apenas com ofertas extras levantar tudo o que era necessário. Mas Deus quis fazer diferente para me mostrar o quanto dependo Dele e principalmente, o quanto é bom depender dele.

O fato é que estamos há poucos dias da viagem e continuo dependendo de Deus e vendo milagres diferentes a cada dia. Aos poucos vou contando todos, este texto já está muito mais longo do que eu pretendia. Mas para dar um gostinho eu reproduzo aqui o resumo de dois "encontros" que Deus me deu este fim de semana no msn.

Um amigo me perguntou se eu sabia quem ia pra Coréia. Eu comecei a dizer quem ia sem ter idéia do motivo da pergunta.
- Você vai? Não sabia...
- Eu vou, tô animada.
- Legal, então eu quero te dar uma oferta.
- Sério? Que legal!
- Eu decidi isso no Congresso Estudantil. Queria muito ofertar pra Coréia só que não tinha um tostão no bolso, mas eu tinha um dinheiro pra receber atrasado que já tinha perdido a esperança. Daí no Congresso eu disse a Deus que queria muito investir mas não tinha como, mas que se Ele fizesse eu receber este dinheiro eu iria fazer uma oferta. Na segunda-feira me pagaram...
- Caraca! Deus é muito fiel, né?
- Pois é, eu tenho R$ 100,00 agora e quero dar pra você então.

Deus é demais, né? Só que não parou aí. Isso era por volta de 0h30 e eu continuei online. Lá pra umas duas da madruga, uma outra amiga entrou e me chamou no msn também. Tinha muito tempo que não falávamos, ela é de Fortaleza, terra de gente boa.
- Oi Liege, tudo bem?
- Legal, e você?
- Bem também. Que tá fazendo da vida?
- Ih... um monte de coisas (e comecei a relatar minha agenda).
- Você vai pra Coréia?
- Vou.
- E quanto falta ainda pro sustento?
- Falta... (pensando: será q o raio vai cair duas vezes no mesmo lugar?)
- Então eu quero te dar R$ 150,00.
- Aleluia! Caraca maluco, acho que não saio do msn esta noite. Vou fazer uma vigília aqui, é capaz de eu completar o sustento.
- Por que?
- Um amigo me deu uma oferta por aqui agora a pouco também.
- Abençoado msn!
- Pois é. E muito obrigada por seu espírito voluntário. Valeu mesmo.

Ficamos conversando até umas três da manhã e fui dormir pra lá de 4h. Acordei no domingo as 8h mas não tive forças pra levantar e ir ao culto (estou trabalhando direto, sem direito a folga nem nos sábados desde abril e assim será até agosto). Resolvi ficar dormindo e só ir a igreja a noite. Quando meu pai chegou da igreja me passou uma oferta de R$ 70,00 que entregaram a ele. Realmente, Deus dá aos seus enquanto dormem!

Em breve mais notícias sobre a CM2007 e outros assuntos. Aliás, no próximo texto talvez eu explique melhor o que é a CM2007. Como disse, isso aqui não vai ter muita ordem mesmo. Vou falando o que estiver no coração...